27.8.14

"Da atualidade do Antigo Testamento e do primitivismo dos pós-cristãos", no blog Teologia Pentecostal

Alguém já disse que acreditar em Deus ficou mais difícil depois que se inventou a energia elétrica. “Por que apelar a um ser supremo que começou a criar o mundo dizendo ‘Haja luz’ quando o homem pode fazer surgir luz diante de si no simples ato de apertar um interruptor numa parede?”, pergunta-se o homem moderno. A descrença é especialmente enfática quando se está diante do Antigo Testamento. Aos olhos modernos, as narrativas veterotestamentárias permeadas de sangue parecem demasiado impuras, não condizentes com o nosso ideal de boa religião. Entre cristãos, a descrença se atenua, mas permanece como seu resquício um desconforto. Temos dificuldade em pregar toda a Palavra inspirada (2 Tm 3.16), que inclui os escritos primitivos – destinados ao nosso ensino (Rm 15.4) –, para uma sociedade que se crê avançada o suficiente para superar as guerras passadas e futuras.
Para ler o artigo completo no blog Teologia Pentecostal, clique aqui.